VUCA: 4 dicas para fortalecer sua gestão e negócios nesse ambiente

Posted by Angelo Scaramussa
at Thursday January 11th, 2018.

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Você já ouviu falar em VUCA? Do termo em inglês, VUCA significa volatilidade, incerteza, complexibilidade e ambiguidade, adjetivos que podem afligir a maioria dos colaboradores e empresas, afetando decisivamente seus planos e comprometendo a gestão.

O conceito de VUCA foi apresentado pela primeira vez pelo United States Army War College, no intuito de descrever as condições resultantes do fim da Guerra Fria, na década de 90. Entretanto, sua relevância é tão grande que hoje o VUCA ainda é um valioso parâmetro para se entender o ambiente de negócios após a crise financeira de de 2008 e 2009.

Neste post, apresentamos 4 maneiras de preparar sua empresa para atuar em um contexto cada vez mais incerto, garantindo respostas ágeis e os melhores resultados. Confira.

 

1. Apostando no líder: principal ator do mundo VUCA

O líder é o principal ator no contexto abrangido pelo VUCA. É ele quem irá fazer a leitura dos ambientes internos e externos. Entenderá onde e como atuar ao conduzir a empresa pelos caminhos necessários para o sucesso.

Assim, líderes devem processar grandes quantidades de informação, tomando decisões de forma rápida e precisa. Isto significa considerar, mais do que nunca, o que é possível – afinal, qualquer coisa pode acontecer – no lugar do que é provável de ocorrer no mundo dos negócios.

Isto requer que sua organização transforme a mentalidade das lideranças para que consigam vislumbrar todas as possibilidades de cenários. Como gestor, precisará ter desenvoltura na comunicação, coletar e processar informação diferentemente e desenvolver distintos planos para o futuro.

É por meio da gestão e análise de pessoas que a empresa poderá prover hábitos práticos para lidar com os altos níveis de complexidade do contexto VUCA, tais como: prover o aumento dos questionamentos dos seus líderes considerando perspectivas multiplas; mirar grandes cenários e, com isso, desenvolver visão sistêmica. Aspectos como proatividade e acessibilidade são características indispensáveis para essa alta liderança.

A análise e desenvolvimento de pessoas – do time e líderes da empresa – está intrinsecamente relacionada ao que os tempos econômicos VUCA demandam: avaliação de competências e identificação de talentos individuais.

Com essas informações, abre-se caminho para a elaboração de um plano de desenvolvimento para cada funcionário, considerando aspectos profissionais e emocionais, de adaptabilidade e coragem, que vão influenciar o futuro da sua empresa.

Tecnologia à serviço das lideranças

O uso da tecnologia para gerir pessoas já é primordial nesse cenário, pois possibilita processar grande volume de dados, assim como nos ajuda a distinguir o dado que é ou não relevante. Além disso, a informação agora é personalizada porque considera características individualizadas de cada pessoa, o que possibilita que a ação seja específica e direcionada.

Com adesão a tecnologias e inovações temos mais eficiência, visto que podemos endereçar a lacuna real de desenvolvimento e não uma lacuna geral. Trabalhar a lacuna geral é trabalhar ninguém.

Com mais ferramentas e tranquilidade, os líderes poderão enfrentar seus principais desafios: ter visão e senso de missão, pensando “fora da caixa”.

 

2. Optando por um sistema integrado de gestão

Toda empresa possui um sistema de gestão, alguns mais burocráticos ou mais livres, uns mais sofisticados e outros mais rudimentares. Mas, independente do sistema que sua organização utiliza, a sua função primordial é gerar resultados.

Parece algo simples, porém o ideal é que o seu sistema de gestão possa corrigir rotas caso os resultados planejados não sejam concretizados.

Estar aberto à inovação é a regra. Assim, a empresa poderá coordenar os processos entre as suas fronteiras organizacionais, de maneira disciplinada, ultrapassando as estruturas estáveis do passado.

Assim como a análise de pessoas da sua equipe e seu desenvolvimento, é crucial integrar isso aos demais aspectos organizacionais, fato que requer a implementação de tecnologias de gestão integrada, hoje automatizadas.

A tomada de decisão tende a ser multidimensional, ou seja, ocorre em várias frentes dentro da organização, e uma plataforma de gestão integrada é uma maneira de organizar, dar acesso e fluidez aos processos, que vão se tornar mais baratos e seguros diante das mudanças constantes do ambiente VUCA.

É cada dia mais viável recorrer a uma ferramenta digital que possibilite:

– Acompanhar a performance dos indicadores dos funcionários e departamentos, realizando ajustes nas metas e indicadores quando percebido necessário, ainda no curto prazo;
– Recompensar, meritocraticamente, aqueles que obtiveram bons desempenhos por meio de remunerações variáveis que estimulem o desempenho individual e coletivo;
– Possibilitar fácil comunicação entre áreas com agendamentos de reuniões e tarefas;
– Armazenar e analisar a matriz financeira da empresa, mantendo o acompanhamento e controle dos gastos de cada unidade ou área.

Tal sistema de gestão viabiliza uma transformação estratégica frente ao ambiente externo e interno, com uma governança corporativa integrada, incluindo toda a gestão dos objetivos dos projetos propostos pela empresa.

3. Investindo na consultoria em gestão

Recorrer a consultores com experiências e cases de sucesso é mais uma possibilidade para as empresas no contexto VUCA. A aplicação de benchmarking a partir de outras experiências desses consultores é tão relevante quanto a implementação de inovações tecnológicas e de gestão.

O know-how de uma equipe de consultores pode delinear novos processos de gestão necessários aos negócios da organização e às atribulações que o mundo globalizado e interconectado exige.

Digamos que uma solução para a questão da complexidade é o engajamento que ela exige. Como gestor, você deve possibilitar a construção de novos sistemas para acomodá-la e que favoreçam adaptação a ela.

Com a emergência de novas competências e declínio de outras, inúmeras algumas empresas e pessoas ainda não estão preparadas (ou mesmo se preparando) para esse novo mundo. A consultoria tecnológica, de processos ou financeira permite à organização atacar mais rapidamente suas fraquezas, modelando os processos de forma que conquiste os melhores resultados.

Uma das formas como isso ocorreria é pelo alinhamento estratégico da organização: avaliar as estratégias que a empresa já possui, alinhando-as com a visão de futuro almejado. Isto requer o mapeamento das metas a serem fortalecidas por meio do detalhamento do seu conteúdo, assim como descartar aquelas que divergem dos objetivos estabelecidos.

Ou seja, uma consultoria em gestão auxilia o plano estratégico por meio da análise e definição da missão, visão e valores da organização; apresentando análises competitivas do mercado e dos pontos forte e fracos da empresa, sempre vistos como oportunidades; repensando e aprimorando os desdobramentos da estratégia em novos ou antigos projetos e metas. Os melhores resultados, no menor prazo.

4. Estruturando a gestão para todo o tipo de desafios

Caso adote medidas como o desenvolvimento dos líderes, a implementação de um sistema de gestão integrado e valendo-se de uma concreta consultoria em gestão, sua organização poderá responder agilmente e crescer, enfrentando o contexto VUCA.

Veja como uma gestão estruturada pode fazer a diferença:

– Aumentando a confiança entre as unidades da empresa e entre os funcionários acima e abaixo na cadeia de comando;
– Promoção de um ambiente de aprendizado, no qual haverá alta segurança psicológica, por meio do acompanhamento individual de talentos, e com elevados padrões de desempenho;
– Presença de equipes completas e diversas que experimentam, são abertas e responsivas às mudanças. Tal time precisa de características multidisciplinares, com os quais a organização conseguirá reagir aos diversos estímulos do ambiente;
– Percepção aguçada quanto às mudanças de preferências dos consumidores, nas relações entre marcas, produtos e companhias, nacional e internacionalmente;
– Capacidade para que a organização, que é complexa, rapidamente se adapte, reordene, auto-organize e cresça prosperando.

A integração das equipes e dos processos, o constante acompanhamento e revisão da performance e indicadores dos departamentos e indivíduos e, sobretudo, o desenvolvimento de líderes, configuram a linha de frente para encarar o contexto de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade.

Sendo assim, o paradigma VUCA representa para a alta liderança a necessidade de consciência sobre forças que afetam e moldam a gestão organizacional, as estratégias de negócios e os desafios que os gestores das empresas enfrentarão. O mundo VUCA é o presente e não está à espera da reação da sua empresa. Por isso, não perca tempo e esteja preparado hoje.

Ainda tem dúvidas sobre o mundo VUCA? Deixe seu comentário abaixo e nos ajude a enriquecer ainda mais essa discussão.

plataforma de gestão

Next Post

Related Posts

Share

LinkedIn

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Keep updated!

Get our news