A gestão de performance como principal diferencial das empresas

por Ana Lima - 05/09/18 ⇠ Veja outros Posts

Muitos esforços são invariavelmente feitos em torno das melhores contratações, da aquisição de clientes de peso, da construção de uma gestão enxuta e do lucro que a empresa pode auferir, especialmente em tempos de crise. No entanto…  você, efetivamente, já se preocupou com a gestão de performance da sua equipe?  

Não, não se trata de reconhecer atributos e realizações deste ou daquele colaborador, mas de alinhar – e otimizar, é claro – o desempenho individual às metas que a empresa deseja atingir em determinado prazo.  

Nossa intenção com este post é despertar a necessidade de ver (e rever) a gestão de performance como um dos, ou senão o principal diferencial para que sua empresa apresente competitividade no mercado.    

Por que a gestão de performance importa, afinal?  

A gestão de performance permite avaliar constantemente as ações que trazem retorno positivo para a empresa, determinando em tempo hábil os principais pontos que precisam ser melhorados para atingir as expectativas da organização. Através de processos formais e informais, colabora com o alinhamento dos funcionários e suas atividades com o todo da organização.

Muitas empresas consideram esse o Painel de Controle geral da gestão. Sabe quando uma luz vermelha acende e te indica que algo está errado? A tomada de decisão dos gestores nesse momento é essencial para realizar correções e tomar ações de impacto positivo.

Uma estatística no mínimo curiosa só reforça a visão da performance como um elemento diferencial para determinar o lucro da empresa. Uma pesquisa realizada no início de 2018 pelo instituto Gallup, nos Estados Unidos, mostrou que os trabalhadores tendem a produzir 12% a mais quando estão satisfeitos com suas atividades profissionais e cargos.  

De fato, uma porcentagem relevante para o mercado atual, no qual as empresas precisam atingir metas cada vez mais desafiadoras, mantendo e gerando mais e mais oportunidades de negócios. 

E como fazer uma avaliação de performance dos integrantes da minha equipe?  

Na realidade, há várias formas de se avaliar a performance, tanto da sua equipe, quanto de determinadas áreas estratégicas da empresa. Porém, o essencial é que essas formas estejam sempre de acordo com o que se quer atingir para, assim, dar mais visibilidade e transparência a aquilo que está sendo realizado.

É muito comum ver processos lentos e engessados, com ferramentas obsoletas e sem foco em análise de dados.

“Uma boa gestão da performance baseia-se em um princípio simples: “o que se mede se faz”. Em um sistema ideal, uma empresa cria uma “cascata” de métricas e metas, desde objetivos estratégicos de alto nível até as atividades diárias de seus funcionários da linha de frente.” (Caspi, Douglas e Gascon, “Gestão da performance: por que controlar os resultados é tão importante – e tão difícil”)

árvore de performance

Antes de recorrer a qualquer ferramenta, é preciso definir metas claras e que façam sentido para todos os envolvidos em determinado projeto, ou seja:  

  • metas relacionadas aos resultados financeiros; 
  • metas relacionadas apenas ao desenvolvimento do colaborador; 
  • metas personalizadas, capazes de definir o caminho a ser traçado pela empresa.  

Um detalhe importante a ser destacado: todas as metas em questão devem ser mensuráveis e aplicadas a cada função e colaborador. Portanto, quatro palavras devem ser mantidas em mente: relevância, diálogo, liderança e motivação. Incluir todas essas variáveis na conta facilita muito o fator “sucesso”.

3 boas ferramentas para analisar a performance  

Feedback contínuo  

O que transforma o feedback em feedback contínuo depende diretamente do grau de motivação: com qual frequência a necessidade de se retroalimentar um time sobre o seu desempenho se dá. O retorno ágil sobre o trabalho realizado tem sido cada vez mais solicitado entre os funcionários de diferentes organizações, muito por conta das características da geração millennial.   

Avaliação 360° 

avaliação 360° é uma das avaliações mais completas. Nela, o colaborador é analisado por meio de diferentes pontos de vista, incluindo o próprio, também conhecido como “autofeedback”. Nesse modelo de avaliação de performance, são coletadas a opinião dos diversos envolvidos — superiores, subordinados, colegas de trabalho e clientes —, o que gera uma avaliação 360 graus do funcionário.

Plano de Desenvolvimento Individual 

O Plano de Desenvolvimento Individual, também chamado de PDI projeta a carreira do colaborador por meio do aprimoramento constante do conjunto de habilidades que permitirá o crescimento profissional dentro da empresa, alinhando as expectativas da companhia às expectativas pessoais de cada integrante do time.

gestão de performance

A matéria-prima mais importante da gestão de performance

Avaliar com fundamentos e as ferramentas adequadas o desempenho da sua equipe é, portanto, o diferencial que irá fazer com que a sua empresa seja vista, por dentro e por fora, ou seja, por funcionários, parceiros, investidores e clientes, como uma sólida potência.

A liderança, nesse cenário, coloca-se como central para realizar processos fortes de avaliação e diálogo.  Em um artigo anterior, exploramos os motivos da baixa produtividade das equipes. Líderes coesos, com as ferramentas certas nas mãos, tendo os insumos necessários para tomarem as melhores decisões, são o nó que amarra a gestão de performance à resultados consistentes.

Bem, e agora que apresentamos alguns argumentos em favor da gestão de performance, ou melhor, da implantação de uma metodologia que permita a análise constante da performance do seu time, você precisa conhecer o módulo Performance da Plataforma Mereo. Ele conjuga, de forma prática e simples, tecnologia e teoria de acordo com as reais necessidades da sua empresa. Peça uma demonstração desse recurso em nossa Plataforma: você poderá alcançar patamares ainda maiores, rumo à alta performance.

Ana Lima

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar