Um novo olhar sobre a meritocracia nas empresas

por Ana Lima - 11/04/19 ⇠ Veja outros Posts

A “meritocracia” é uma palavra originada do latim que significa mérito (mérito) e poder (cracia). Hoje em dia, ela foi discutida à exaustão, além de ser um conceito um tanto quanto desgastado e distorcido, infelizmente. Mas e a meritocracia nas empresas? Ela seguiu o mesmo caminho?

Por que a “meritocracia” foi distorcida com o tempo?

No âmbito da coisa pública, meritocracia se transformou em incógnita mediante a fiscalização sobre concursos públicos, cotas raciais e cargos comissionados, para não citar as práticas escusas de alguns dos nossos políticos do mais alto escalão.  Acima de tudo, em uma sociedade extremamente desigual como a brasileira, fica difícil tratar com isenção a promoção pessoal unicamente por méritos.

No entanto, em se tratando do setor privado e, mais ainda, do ambiente de competitividade acirrada das grandes empresas, a meritocracia nas empresas toma outra forma. Ela se torna uma aliada dos melhores gestores e traduz méritos em resultados palpáveis e atingíveis.  

Neste post, você vai entender como um novo olhar sobre o que é meritocracia só tende a beneficiar as empresas, levando gestores a assumirem um papel muito mais estratégico do que intuitivo. Veja a seguir.

Meritocracia nas empresas: Um modelo de gestão?

Por ser, acima de tudo, um modelo de gestão justo, democrático – e que propulsiona a produtividade – a meritocracia empresarial vem sendo implantada em empresas de renome no mercado internacional. Além disso, esse modelo trabalha com um item bastante visado por profissionais de quaisquer escalões: a transparência, ou seja, quem apresenta os melhores resultados merece mais do que aquele que não apresenta resultados.

Alcançar novos patamares por mérito, com base, é claro, nos valores e crenças disseminadas pela empresa, independentemente de distinções de gênero, raça, classe social, parentesco, enfim, todo tipo de classificação não pertinente ao ambiente de trabalho. Trata-se de uma prática incentivada e, mais, traduzida em plano de carreira pelos players de maior destaque mundial, nos mais diversos setores.  

3 Vantagens da meritocracia nas empresas

Ao longo dos anos, os benefícios da gestão meritocrática têm sido reconhecidos para além dos liames dos Recursos Humanos, apresentando vantagens essencialmente estratégicas. Entenda algumas delas abaixo:  

Identificação de talentos

meritocracia nas organizações, quando implantada corretamente e devidamente absorvida pelo quadro de colaboradores, atua tal como um filtro, fornecendo pistas aos gestores sobre onde se encontram os maiores talentos da empresa, de forma que eles possam recompensá-los pelo desempenho. Esse modelo meritocrático de gestão também faculta aos gestores a visão sobre o desempenho daqueles funcionários que não se enquadram no perfil desejado pela empresa, dando inputs sobre formas de motivá-los ou, em último caso, fazendo com que eles reflitam sobre uma possível mudança de emprego ou até de carreira.  

Motivação

Motivação é o combustível da produtividade de qualquer empresa. A partir do momento em que os funcionários não só passam a ser recompensados, mas reconhecem a relação entre mérito e desempenho, eles se sentem mais motivados e, consequentemente, transformam-se em profissionais mais produtivos, participativos e engajados nos resultados. Como diria o consultor de marketing e palestrante motivacional internacionalmente reconhecido Simon Sinek:

Trabalhar em algo no qual não acreditamos se chama estresse. Trabalhar naquilo que acreditamos se chama paixão”.

Branding fortalecido

Contar com profissionais satisfeitos e, principalmente, motivados, sem dúvidas tem um impacto positivo sobre a imagem institucional da empresa, concorda? O que é bom para o departamento de Recursos Humanos, pois sempre terá uma fila de candidatos interessados em integrar o quadro da empresa, além de favorecer os resultados, pois um branding fortalecido se torna um pólo de captação de futuras cartas de clientes.

As bases da meritocracia nas organizações

Comunicação: O ponto-chave da aplicação do modelo meritocrático nas empresas

O modelo meritocrático não pode ser implantado da noite para o dia, por mais que exista hoje uma predisposição ao tema na agenda das principais empresas do planeta. Isso porque a meritocracia exige, antes de tudo, uma comunicação clara entre todos os quadros da empresa, além de uma definição prévia de critérios e recompensas, sempre com o foco no coletivo. O plano de ações, em suma, não pode se desviar da cultura da empresa, ou seja, seus valores norteadores.  

Quando a equipe não sabe com clareza a função que compete a cada um, pode, eventualmente, haver um choque que fatalmente gerará disputas improdutivas de muitas pessoas lutando pelo mesmo fim. Nesse ponto, a tecnologia é um auxílio vital para a definição de metas e prazos que possibilitem uma avaliação sobretudo imparcial. Ademais, é bom saber que a meritocracia é um lento processo de educação corporativa.

Recompensa: A fomentadora da meritocracia

No item anterior, abordamos a meritocracia nas empresas como um lento processo de educação corporativa.

Mas em termos de processo, tende a ser lento ou acelerado caso conte com o auxílio técnico de uma consultoria. Segundo especialistas, a mudança de cultura de uma empresa demora de 3 a 5 anos, dependendo do empenho dos líderes que precisam, acima de tudo, dar o exemplo:  

O funcionário X observa o seu colega conquistar um cargo Y pelo simples fato de que ele cumpre as metas estipuladas. Logo, o funcionário X entende que o único caminho para se chegar ao cargo Y é pelo cumprimento de metas. E assim por diante, até que o ciclo se configure como cultura organizacional.

Mas galgar cargos por meio de promoções não precisam ser as únicas recompensas. Talvez, as maiores recompensas, especialmente quando há uma superação de metas sequencial, mas fato é que o gestor conta com um leque de opções para fomentar a meritocracia dentro de uma empresa. Confira abaixo algumas das recompensas que você, no papel de gestor, poderá adotar:

  • Bônus diversos;
  • Viagens corporativas (participação em congressos, seminários, simpósios etc.);
  • Aumento de salário;
  • Bolsas;
  • Participação nos lucros;
  • Incentivos culturais (ingressos, descontos, promoções, cards).

Meritocracia em pequenas e grandes empresas

A meritocracia funciona tanto em pequenas empresas quanto nas grandes corporações. Nas empresas em expansão, a meritocracia pode ser uma alavanca para o engajamento de todos os colaboradores e um impulso para a revelação de grandes talentos. Já nas grandes companhias, o sistema meritocrático de gestão pode provocar, além do surgimento de novos talentos, a permanência de excelentes profissionais na empresa, por enxergarem a possibilidade de crescimento e de reconhecimento dos seus esforços.

Bom, agora que você está por dentro do potencial da meritocracia para balizar as metas organizacionais, já pensou em implantar essa prática na gestão diária da sua empresa? Ou tentou e encontrou impeditivos? Sim, como mencionamos, um sistema meritocrático precisa de prazo para ser absorvido pela cultura organizacional, no entanto, você tem a opção de contar com especialistas diferenciados que adaptaram a ideia de meritocracia para uma plataforma inovadora que permite calcular remuneração variável de cada funcionário a partir dos seus resultados, entre tantos outros recursos.  

Gostou desse post? Ainda tem dúvidas sobre a aplicação da meritocracia nas empresas? O que acha de conversar com um de nossos consultores sobre o assunto? Aproveite e deixe seu comentário no campo abaixo!  

Ana Lima

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar