Metodologia MASP: identificação e solução de problemas

por Ana Lima - 27/03/19 ⇠ Veja outros Posts

A metodologia MASP (Método de Análise e Solução de Problemas) é uma metodologia sistemática que, com toda a certeza, facilita o trabalho do gestor, auxiliando-o na identificação e solução de problemas. Essa ferramenta faz parte da gestão da qualidade, de tal forma que consegue enxergar em cada problema que surge uma oportunidade de melhoria.

O que é a metodologia MASP de análise e solução de problemas?

A metodologia MASP tem como base a padronização de procedimentos com a finalidade de correção das falhas e prevenção de novos problemas. Podemos dizer que é uma metodologia voltada a realização de ações corretivas e preventivas.

Esse método permite ao gestor um detalhamento do problema e de sua causa. Ao utilizar a metodologia MASP, o administrador consegue visualizar as falhas em partes menores, o que permite uma ação corretiva mais eficaz.

Além disso, faz uso da mesma base conceitual do PDCA, que vê o problema como uma oportunidade de aperfeiçoamento, sempre focado na melhoria contínua. Ou seja, é mais uma metodologia cíclica.

Essa ferramenta necessita de planejamento e disciplina para ser corretamente empregada. Sua aplicação deve ser realizada por meio de 8 etapas.

Passo a passo para implementar a metodologia MASP

A metodologia MASP vem junto com outras que tem um passo a passo e são cíclicos. Veja os oito passos para obter sucesso em seu uso.

1 – Identificação do problema

Essa é a primeira etapa. Assim sendo, deve ser feita de maneira clara e organizada, levado em conta o histórico da empresa.

É nessa etapa que se descobrirá exatamente qual é a falha que está acontecendo e em qual processo específico. Por isso, deve ser realizada com cuidado e atenção. Uma vez que o problema é encontrado corretamente, ele tem mais chances de ser melhor resolvido.

Portanto, identifique quais são as perdas que esse problema gera e quais os riscos potenciais que ele pode causar. Com o histórico da empresa em mãos, observe em quais situações esse problema ocorre e com que frequência.

Faça um levantamento das perdas que já ocorreram. Ademais, calcule o que você tem a ganhar com a resolução dessa situação.

Uma ferramenta que deve ser utilizada aqui é o Gráfico de Pareto. Por meio dele, é possível observar com que frequência o problema ocorre.

2 – Observação do problema

Observar o problema permitirá que você identifique mais rapidamente a sua solução. Portanto, gaste tempo nessa etapa. Observe a falha de vários ângulos diferentes. Assim sendo, você deve verificar todo tipo de variabilidade relativa a local, tempo, tipo de problema, orçamentos e com quais funcionários essa falha acontece.

3 – Análise de suas causas

Por meio desse procedimento, você chegará ao que chamamos de “raiz do problema”. Para isso, reúna-se com todas as pessoas direta ou indiretamente envolvidas na situação. Faça com que todos participem desse processo, apontando as causas mais prováveis para o problema.

Logo após, você deverá eliminar as causas menos prováveis. Faça esse procedimento até conseguir encontrar a real causa do problema. Com a finalidade de analisar essa situação, você pode lançar mão do Diagrama espinha de peixe.

4 – Propor planos de ação

Agora que você já tem clareza sobre qual é o real problema e já conseguiu identificar a sua causa, poderá começar a pensar sobre planos de ação.

Defina objetivos, metas, equipe de trabalho e a forma de avaliação. Aliás, uma excelente ferramenta para essa etapa do processo é o 5w2h.

5 – Execução das tarefas

Esse é o momento da execução do plano. A intenção aqui é que a causa do problema que você identificou anteriormente seja extinta. Nessa etapa, você deverá se preocupar com a capacitação da sua equipe. É recomendável fazer um treinamento com todos os envolvidos.

Além disso, deverá fazer uso de ferramentas de controle para saber se o plano está sendo seguido à risca. Igualmente, utilize ferramentas para gerir o tempo e organizar melhor os seus processos, tais como: o Workflow e o Kanban.

6 – Métodos de verificação dos resultados

Chegou a hora de verificar se a equipe obteve sucesso na eliminação das causas do imbróglio. Portanto, analise se alguma medida causou efeitos colaterais em outro processo. Ao mesmo tempo, observe se as disfunções continuam a aparecer, ainda que em menor frequência. Verifique, também, se não continuam aparecendo, mas de outra forma.

7 – Padronização de procedimentos

Uma vez que você fez a análise dos resultados, é hora de padronizar aquilo que deu certo no processo. A finalidade dessa etapa é a prevenção de novos episódios dos mesmos problemas. Portanto, padronize os procedimentos corretos e, se for necessário, modifique aquilo que causou algum efeito colateral.

Com o intuito de padronizar os procedimentos, faça um novo treinamento com a sua equipe. Posteriormente, acompanhe a utilização do novo padrão e, se for o caso, corrija as falhas no processo.

8 – Elaboração de relatórios de conclusão

Essa etapa é fundamental para o aprendizado da organização. Desse modo, os relatórios de conclusão devem conter, principalmente:

  • Resultados de sucesso;
  • Avaliação de problemas pendentes;
  • Plano de ação contra esses problemas pendentes;
  • Detalhamento dos obstáculos enfrentados durante a execução do plano;
  • Reflexão sobre todo o processo.

Qual a diferença entre MASP e PDCA

A metologia MASP é, certamente, confundido com o ciclo PDCA. Ambas as metodologias fazem parte da gestão da qualidade e são focadas em melhoria de processos.

Em um paralelo simplificado, fazendo um paralelo podemos dizer que:

  • Os pontos 1, 2, 3 e 4 do MASP correspondem ao Plan;
  • O ponto 5, ao Do;
  • O Check seria a etapa 6;
  • E, por fim, o Act corresponde aos pontos 7 e 8.

Entretanto, há algumas diferenças básicas. A metodologia MASP, por exemplo, é focado em minimizar o aparecimento de não conformidades nos processos, produtos, maquinário, etc. Dessa forma, é essencial para uma gestão de qualidade, com obtenção de selos e certificados, por exemplo. O PDCA é mais focado em melhoria contínua de processos.

Sendo assim, é possível utilizar as duas metodologias em conjunto, trazendo maior competitividade e resposta garantida no desenvolvimento de processos das emrpesas.

MASP e Mereo

Em conclusão, como você pode ver, a metodologia MASP pode ser utilizado por você e sua equipe tanto para resolver problemas pontuais, como para facilitar o processo de melhoria contínua na sua empresa.

A Plataforma Mereo, aliás, possui soluções que vão te ajudar na análise de causas dos problemas, no acompanhamento dos resultados, no compartilhamento dos relatórios de conclusão e em diversas outras funcionalidades. Então, não deixe de conhecê-la.

Ana Lima

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar