PDI: guia estratégico para um plano de desenvolvimento individual

por Gabriela Figueiredo - 22/11/18 ⇠ Veja outros Posts

Em se tratando de PDI, abreviatura para plano de desenvolvimento individual, muitos gestores ainda desconhecem seu potencial em termos de produtividade, foco e liderança. Normalmente, deixam ao exclusivo encargo do setor de Recursos Humanos os “anseios” e vontades de seus colaboradores, não compreendendo que, com isso, podem acabar minando a valorização do seu staff e, consequentemente, o crescimento da empresa.

O objetivo deste post é esclarecer, de uma vez por todas, todos os benefícios (não só individuais, como coletivos) do PDI, bem como a diferença que ele pode fazer na execução dos planos de ações de qualquer empresa. O impacto na performance dos colaboradores pode ser muito grande. Confira.

O que é o PDI?

O plano de desenvolvimento individual normalmente sistematiza um conjunto de ações que precisam ser executadas para que um profissional atinja determinado objetivo, contando exclusivamente com o seu próprio desenvolvimento. Em suma, o PDI, tal como ele é visto hoje, no ambiente organizacional, é uma espécie de “script”, em que são traçadas etapas para que o indivíduo chegue a determinado cargo ou adquira certas habilidades convenientes não só a ele, como à empresa.

Na prática, o PDI é como se fosse um documento no qual são estabelecidos metas e prazos, e é justamente isso que o faz tão abrangente e relevante para uma gestão moderna, pois mantém toda a equipe focada, para não dizer obstinada. Com um PDI elaborado com precisão, todo e qualquer passo se torna estratégico, o que evita a perda de tempo e o desgaste de energia com ações que, ao fim do dia, não contribuirão para a realização do objetivo maior, ou seja, números e conquistas que irão influenciar não só no desempenho do indivíduo, como no crescimento da companhia.

 

Como fazer um PDI de sucesso

Bom, você está decidido a fazer um PDI, ou mesmo estimular seus colaboradores a fazerem os próprios planos? Saiba, então, que a criação do Plano de Desenvolvimento atravessa etapas específicas para se chegar aos objetivos. Sem contar que, independentemente se individual ou coletivo, as informações devem ser integralmente baseadas na realidade, ou seja, nos fatos.

Uma pergunta que serve muito bem como gatilho é:

  • Onde estou e aonde quero chegar?

A partir desse questionamento, teremos as seguintes etapas dentro do PDI:

Análise da situação

A análise da situação normalmente é muito abrangente, pois considera inúmeras variáveis, como:

  • família;
  • relacionamentos,
  • carreira;
  • saúde;
  • religiosidade;
  • finanças;
  • equilíbrio emocional;
  • qualidade de vida;
  • esportes;
  • hobby;
  • etc;

É preciso que se considere, também, o status atual e o almejado, tanto no lado pessoal quanto profissional. É imprescindível que ambos apontem na mesma direção, para que assim todos os esforços sejam somados e gerem resultados satisfatórios.

Definição do objetivo

Essa é uma das etapas mais importantes, uma vez que, nela, é definida a linha de chegada. Para tanto, faz-se necessário especificar um objetivo, que pode ser simplesmente a concretização de um projeto, uma promoção, uma nova carreira ou título, etc…

Especialmente aqui, é necessária honestidade para se responder à pergunta: “o que quero ou devo desenvolver? Ou mesmo, quais atividades me trazem mais satisfação no meu cotidiano? Vale destacar que as metas devem ser muito claras, porém flexíveis para que o PDI tenha eficácia.

 

Criação do “mapa” de competências

A partir da análise da situação, deve-se compreender todas as competências que já possui e também aquelas que são necessárias para a obtenção do objetivo. Não foque estritamente nos pontos positivos, uma vez que os negativos podem trazer insights preciosos quanto às habilidades que precisam ser desenvolvidas. Com essa análise, você percebe com mais clareza seus pontos fortes e fracos, bem como os pontos que carecem de ser melhorados.

E, antes que você pense em desistir, saiba que é realmente muito difícil reparar e otimizar todas as suas habilidades em um prazo curto. Portanto, escolha a ordem de prioridade das competências a serem trabalhadas. Há vários tipos de avaliação de desempenho que podem ser utilizados para mapear a performance e realizar uma gestão de competências dos colaboradores. Cada empresa possui processos e demandas que exigem um modelo de avaliação e feedback a ser utilizado.

Para ajudar nessa priorização dentro do seu mapa de competências, é fundamental avaliar 3 aspectos:

  • impacto: ou o peso da habilidade para se alcançar o objetivo;
  • desejo: o quanto você quer desenvolver essa competência;
  • urgência: quanto você precisa de certa habilidade para alcançar o objetivo.

Adicionalmente, há metodologias incríveis, como o Learning Agility, que auxiliam os colaboradores a desenvolverem habilidades pessoais e profissionais de alto impacto no trabalho.

Delineamento do plano de ação

A etapa de delimitação do plano de ação prevê a construção de toda a sua estratégia. Assim, um bom plano de ação deve acompanhar todos os tipos de aperfeiçoamento e características individuais que precisam ser atingidos.

E afinal, qual é o objetivo do plano de ação? O plano de ação faz com que o indivíduo saia da subjetividade e seja capaz de delimitar uma série de ações que viabilizarão o alcance das metas. Nessa etapa, deixa-se a zona de conforto em função das mudanças necessárias.

Aqui, o ideal é que se busque orientações na teoria, mas também na prática. Quer ver um exemplo?  Se você tem como meta dominar conhecimentos técnicos, além da sua formação básica, para poder compreender os processos de outros departamentos da sua empresa, você pode inserir nos planos de ação leituras e fichamentos sobre obras referenciais, além de fazer cursos e tirar certificados específicos.

O PDI é nada mais que uma consequência de etapas contínuas. Essas etapas precisam ter relação com o seu dia a dia, além de, como já mencionei anteriormente, serem elaboradas por meio de etapas, a fim de impactar positivamente no seu processo evolutivo.

Acompanhamento de resultados

Apesar de o PDI poder ser realizado apenas por você, as possibilidades de sucesso serão expandidas caso conte com o auxílio de um mentor, instrutor ou consultor, já que é muito útil reunir o máximo de visões opostas a sua para que se chegue a um consenso e, também, para que você tenha certeza de que está no caminho certo.

Essa “consultoria” é fundamental para se chegar mais fácil a todas as respostas, uma vez que essa prática normalmente alinha desejos pessoais aos profissionais e, concomitantemente, todas as habilidades são devidamente potencializadas. O resultado dessa equação é um só: um Plano de Desenvolvimento Individual bem sucedido. Pronto para tirar do papel o seu?

Exemplo prático de um pdi

Objetivo: Tornar-se o líder da equipe. 

Planos de ação: 

  • Gerenciar indicadores;
  • Propor ideias e soluções;
  • Garantir entregas e resultados;
  • Apoiar subordinados e superiores;
  • Motivar a equipe.

Habilidade a ser desenvolvida: Motivação

Ações: ler obras referenciais sobre motivação e aplicar o que foi aprendido junto com sua equipe.

Foco a ser desenvolvido: Acompanhamento de Indicadores

Ações: Realizar treinamentos/cursos sobre indicadores, os KPI’s. Fazer cursos e treinar com as ferramentas disponíveis na empresa.

Afinal, como fazer um pdi infalível?

Atenção: para fazer um PDI infalível, não basta somente planejar o que fazer. É extremamente necessário que exista o comprometimento de agir dentro de um prazo estipulado e, assim, evidenciar os resultados esperados de acordo com cada ação executada. Registrar todas as informações e estabelecer uma rotina funcional de acompanhamento com o colaborador também é essencial para que exista janela para a promoção ajustes finos e a concessão de feedbacks contínuos no sentido de incentivar mais e mais o quadro.

Bom, e agora que você ficou a par de todos os detalhes sobre a execução dos PDI’s na sua empresa, que tal contar com a ajuda de uma equipe especializada e preparada para impulsionar os seus resultados? Solicite uma DEMO da Plataforma Mereo ou converse com um de nossos consultores: você vai encontrar uma solução na medida certa para a sua gestão.

Gabriela Figueiredo

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar