A redução de gastos através da análise financeira

por Karine Moreira em 05/Mar/2020 ⇠ Veja outros Posts

 

 O desempenho econômico no Brasil tem apresentado um cenário fraco nos últimos tempos, com pouco crescimento na economia do país. De acordo com as estatísticas do IBGE, o PIB cresceu apenas 1,1% no ano passado, apresentando o desempenho mais fraco em 3 anos.

Como reflexo disso o meio corporativo tem uma restruturação na redução de gastos generalizada, assim como reduções significativas nas taxas de crescimento, e até decréscimo, de setores outrora pujantes. Traduzindo para a linguagem financeira das empresas, estamos falando em queda do lucro de receitas (vendas).

Essa estratégia de redução de gastos é realizada através da análise financeira bem preparada para não ter despesas extras e manter o lucro da empresa.

A fórmula do lucro de uma empresa, de uma maneira bem simplificada, pode ser entendida como:

Lucro = Receita – Custos – Despesas.

Se a receita está caindo e a empresa necessita do lucro para se sustentar no mercado (porque se não houver o lucro, os investidores deixam de investir na empresa e passam a investir seu capital no mercado financeiro),  a variável de atuação mais direta para a empresa são seus gastos (custos + despesas).

Saiba diferenciar o conceito de custos e despesas

O que são custos?

Os custos são todos os gastos relacionados diretamente ao processo principal da empresa (no caso de uma fábrica, por exemplo, seriam os gastos relacionados ao processo produtivo).

 

O que são despesas?

Despesas são os gastos relacionados diretamente às áreas de suporte no processo principal da empresa, além dos relacionados à área de vendas. Em suma, o conceito de “gasto” refere-se indistintamente a um custo ou a uma despesa.

Por que a necessidade de separação entre os dois tipos de gastos?

Porque, sendo de naturezas diferentes, a abordagem para sua redução de gastos também deve ser diferente.

É muito comum em cenários de crise que, em atos de desespero, a alta administração exija uma redução de gastos generalizada. Sem uma abordagem específica e analítica, a redução solicitada pode apresentar efeitos ainda mais desastrosos do que a crise já existente.

Exemplo de abordagem para redução de custo nas empresas

Existem vários exemplos de abordagens desastrosas advindas de uma atitude simplista de gestão de custos nas empresas, mas as principais delas são os cortes generalizados de pessoal.

Nestes processos, normalmente perde-se conhecimento técnico acumulado e pessoas que, de fato, estavam trabalhando e gerando valor para a empresa.

Uma análise criteriosa poderia demonstrar, por exemplo, que há áreas com pessoal em excesso e áreas com pessoal em falta, sugerindo um reaproveitamento de pessoas que de outra forma seriam dispensadas. A rotatividade é um mal que pode sim ser evitado.

Por meio de uma comparação com outras unidades ou mesmo empresas correlatas, uma análise poderia demonstrar também que a empresa possui uma distribuição desproporcional entre pessoas lotadas em áreas de apoio/pessoas lotadas em áreas fim do negócio, causada, por exemplo, por deficiências em processos administrativos ou até mesmo por um ERP ineficiente.

Uma análise eficiente poderia demonstrar também um aumento histórico na quantidade de horas-extras realizadas devido a um aumento temporário de demanda. Não seria mais vantajosa a contratação de temporários neste período, se pensarmos bem?

Outro ponto de extrema relevância no entendimento e desenvolvimento de uma abordagem analítica para a redução de gastos é entender que o gasto é sempre formado pela multiplicação de 2 componentes: quantidade e preço.

Exemplo: despesas com hospedagem = quantidade de diárias x preço médio da hospedagem.

 

Esta separação é importante porque se eventualmente não conseguirmos trabalhar na redução da quantidade de diárias médias efetuadas anualmente, podemos conseguir trabalhar no preço médio da hospedagem por meio de ações como acordos com redes hoteleiras, estabelecimento de padrões de reserva, readequação de exigências, etc. Normalmente, uma análise criteriosa mostrará oportunidades tanto nos vetores 'preço' e 'quantidade', multiplicando o potencial de economia.

A importância da análise financeira

Uma análise financeira criteriosa de gastos exigirá um entendimento completo de todos os tipos de gastos existentes, separados por similaridade (o conceito de contas contábeis) e para cada tipo, entender completamente sua natureza e seus componentes. Muitas organizações ficarão surpresas ao saber que o problema não é excesso de pessoal e sim descontrole em pequenas ações diárias que geram consumo desnecessário de recursos da empresa e do meio-ambiente.

A necessidade da cultura da empresa

Por fim, deve-se entender que, independente de qualquer cenário de crise existente, a questão de redução de gastos no ambiente corporativo deve ser incorporada e estimulada constantemente na cultura da empresa (me refiro a empresas tanto do setor privado quanto do público) de forma que todos estejam pensando, a todo momento, em como gerar mais utilizando menos recursos. Para evitar exageros, deve sempre ser feito de forma muito analítica e ser adotado quase como uma obsessão. Somente desta forma teremos organizações eficientes, sustentáveis e que demonstrem verdadeiro interesse no futuro da nação.

Essa talvez seja a parte mais difícil de ser implementada, pois a cultura deve vir de um líder forte. Não havendo o cenário de crise como estímulo, a tendência natural de acomodação do ser humano sempre dará a impressão que “gastar este pouquinho a mais neste momento bom não fará dano algum”. E por isso há um ditado que diz: “gasto é como unha: se não ficar cortando, crescerá novamente”.

Como a Mereo pode contribuir para a redução de gastos em sua empresa? Continue lendo esse artigo!

 

Análise financeira

Entender a estrutura de custos e despesas é fundamental para empresas em diferentes estágios de vida. Para as empresas em seus primeiros anos sua estrutura significa a viabilidade do negócio, para empresas em busca de maturidade significa ser competitiva, e empresas já maduras significa manter ou melhorar suas margens.

Pensando nisso, a Mereo criou o módulo adicional de Análise Financeira em sua Plataforma Integrada de Gestão, uma espécie de SaaS Software que não necessita de instalação por ter seu armazenamento em nuvem.

Algumas das soluções deste módulo podem ser melhor compreendidas através do gráfico abaixo:

Otimização do Fluxo de caixa com a análise financeira

Com o módulo de Análise Financeira é possível realizar a gestão orçamentária utilizando metodologias base zero e matricial, tendo a consolidação das informações financeiras de forma acessível aos executivos, com diversos níveis de permissão.

Benefícios do investimento em análise financeira:

  • Pavimentação do caminho para um crescimento sustentável do negócio, com métricas, regras e padrões claros para todos;
  • Concentração dos esforços dos colaboradores em atividades que contribuam para a materialização da eficiência operacional;
  • Transparência na avaliação da entrega de resultados de cada colaborador;
  • Agilidade e objetividade das reuniões de resultado, revisões de estratégias e avaliação de andamento de projetos;

A Mereo te ajuda a constuir sua abordagem analítica. Clique aqui que entraremos em contato com você para configurar uma demonstração da nossa plataforma.

 

Karine Moreira

Formada em Publicidade e Propaganda, atua no mercado há mais de 4 anos com foco em Marketing Digital. Adora tecnologia e aprender novas técnicas de produção de conteúdo para a internet. É redatora no time de marketing da Mereo e, escreve sobre cinema nas horas vagas!

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar