Tecnologia e sistemas de suporte à decisão

por Ana Lima - 11/02/19 ⇠ Veja outros Posts

Você sabe o que é um sistema de suporte à decisão? É um tipo de sistema que, a partir de uma base robusta de informações, cria uma análise de variáveis que inferem a um determinado resultado. Esse tipo de sistema tem ganhado muito espaço em diversas áreas do mercado, sendo considerado recurso decisivo para o sucesso de algumas atividades. Entenda como funciona.

O valor que os sistemas de suporte à decisão agregam ao conhecimento

A tecnologia por si só, não é suficiente para determinar a evolução de um sistema ou até mesmo de um negócio, se junto a ela não houver um trabalho preciso nas informações geradas e obtidas.

Um exemplo disso é que é possível ver o quanto as empresas se preocupam em registrar todas as informações possíveis que seu negócio gera, a fim de estabelecer estratégias como:

  • Monitorar o andamento da empresa,
  • Estabelecer metas,
  • Projetar o crescimento do negócio,
  • Analisar e comparar dados anteriores com dados atuais,
  • Determinar estratégias de atuação, etc.

Tudo isso, visando melhorar a eficiência dos processos produtivos e a eficácia da atuação da gestão, sobre as áreas. Entretanto, a tarefa de analisar e extrair o melhor de um grande volume de informações, pode não ser simples e acabar onerando a performance dos sistemas ou mesmo do time.

Por exemplo, enquanto o histórico de faturamento líquido da empresa ao longo dos anos pode ser facilmente representado em um gráfico que permita uma análise qualitativa fácil e direta, alguns outros dados não dispõem dessa mesma facilidade.

A possível necessidade de classificar o perfil de consumo de clientes, baseando-se em informações individuais como idade, gênero, preferências, etc., dos mesmos, é uma situação que exemplifica a dificuldade em conseguir informações mais precisas e específicas. E é nesse tipo de cenário em que entram os sistemas de suporte à decisão.

O que são e como funcionam os sistemas de suporte à decisão

Felizmente, ao longo dos anos, muitas pesquisas foram realizadas e com isso, foram propostos diversos recursos computacionais que auxiliam na análise de dados, possibilitando a identificação e estabelecimento de padrões, até mesmo em cenários nos quais parece não haver padrões. Por isso, o conceito de BI está totalmente relacionado ao suporte à decisão.

Desta forma, através dessas tecnologias passou a ser possível agregar valor e retirar conclusões valiosas a partir de informações que anteriormente aparentavam ter pouco ou nenhum valor, criando um cenário mais consistente de informações que podem levar as estratégias de negócio da empresa, em um caminho muito mais preciso de assertividade.

Isso tudo é possível, através de sistemas de suporte à decisão que são algoritmos existentes em sistemas baseados em conhecimento que analisam e comparam diversas variáveis obtidas através de dados levantados em pesquisas de comportamento, perfis de usuário, rastreabilidade de comportamento virtual do usuário, etc.; onde é possível criar padrões que determinam resultados concretos sobre o público ou a fonte que originou a base de dados analisados.

Mineração de dados e aprendizado de máquina

A busca de padrões desconhecidos por meio de recursos computacionais é conhecida na literatura como mineração de dados. Tais tarefas são desempenhadas, muitas vezes, através de técnicas de aprendizado de máquina.

Essas técnicas consistem em expor uma parcela dos dados ao sistema, que através de algoritmos, buscam extrair e assimilar conhecimento desses dados. Assim, quando o sistema é exposto a novos registros, o sistema retorna uma informação coerente.

Hoje em dia dispomos de uma vasta gama de abordagens de aprendizado de máquina, incluindo abordagens clássicas, como por exemplo as {it Árvores de Classificação e Regressão} e {it Regra dos K Vizinhos Mais Próximos}, quanto técnicas mais sofisticadas como {it Redes Neurais Artificiais, Máquina de Vetores de Suporte, Algoritmo Genético} e {it Lógica Fuzzy (ou Nebulosa)}, dentre tantas outras.

Nesse contexto, destacamos aqui três dos principais problemas para os quais usualmente tais técnicas são aplicadas para busca de soluções, usados nos sistemas de suporte à decisão: Previsão, Classificação e Modelagem.

Previsão

Podemos observar em muitas das nossas séries temporais, fatores externos associados que influenciam no comportamento da série. Por exemplo, para uma empresa de promoção de eventos, a época do ano (Natal, Ano Novo, Carnaval, etc.) é um fator determinante no faturamento.

Além desses fatores exógenos, muitas séries apresentam tendências relacionadas ao fato de que valores subsequentes dependem do seu histórico passado. Dessa forma, é possível através de conjunto de dados projetar sistemas capazes de prever valores para nossas séries com alta acurácia para {it n} passos à frente.

Do ponto de vista gerencial, se bem empregada, tal ferramenta pode se tornar uma vantagem enorme para a empresa, pois possibilita considerar cenários futuros em seu planejamento estratégico.

Um exemplo bem prático dessa versatilidade que os sistemas de suporte à decisão proporcionam ao progresso do negócio, são as empresas que utilizam esse conceito de avaliação de dados, nas estratégias de experiência do cliente. Assim, elas conseguem entender o comportamento do cliente e determinar melhorias para o futuro.

Classificação

Se desejamos classificar se um cliente é propenso a adquirir um produto, as classes seriam {it sim} e {it não}, e alguns fatores que influenciariam poderiam ser idade, gênero, país, renda, nível de instrução, etc.

Ainda que possamos saber que tais relações existam, é difícil compreender como elas se relacionam, portanto é feito uso das técnicas de classificação para buscar a melhor forma de separar o grupo de posse do conhecimento dos fatores.

É possível, por exemplo, aplicar metodologias de Árvores de Decisão, obtendo uma estrutura determinada a partir de informações adquiridas.

Modelagem

A modelagem consistente basicamente em mapear uma {it relação entrada-saída} para entregar um resultado conciso. Muitos dos processos e sistemas presentes nas empresas respondem de acordo com as circunstâncias. Por exemplo, em uma indústria química, há processos onde o resultado depende da temperatura, pressão, umidade, etc.; e, portanto, as propriedades do produto resultante dependerão dos estados desses parâmetros aos quais o sistema foi sujeito.

Conhecer essa relação “entrada-saída” é fundamental, tanto nos sistemas envolvidos nos processos produtivos quanto nos de nível gerencial. Portanto, muitas vezes o que se costuma fazer para sanar esse problema é adotar modelos simplificados que se aproximem da realidade. Dessa forma, os sistemas são utilizados para fazer esse “cálculo” de fatores que tendem a tal resultado, para indicar as informações obtidas com a análise dos dados.

A modelagem é o resultado final que o sistema de suporte à decisão entrega.

O que você achou dos sistemas de suporte à decisão?

A tendência é que os sistemas de suporte à decisão façam parte de uma estratégia conjunta ao BI. Assim, as empresas conseguirão manter e obter dados cada vez mais decisivos para amparar os planos de atuação das mesmas. Considerando a rapidez com que a tecnologia avança e o quanto é possível extrair de informação importante da internet, podemos considerar que cada vez mais, as empresas saberão antecipar-se ao comportamento do mercado. Você concorda? Deixe aqui o seu comentário.

Ana Lima

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar